Dezembro vermelho: Mês de conscientização sobre a Aids
02/12/2018 19:56 em Novidades

Dia Mundial de Combate à Aids ou ao HIV, celebrado neste sábado (1º/12), veio com boas notícias: o Brasil conseguiu diminuir o número de mortes em decorrência da doença sexualmente transmissível. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade passou de 5,7 a cada 100 mil habitantes, em 2014, para 4,8, em 2017.

Neste ano, o Brasil completa 30 anos de oferta do tratamento da doença por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Desde 2013, os medicamentos (antirretrovirais) podem ser acessados nas unidades de saúde pelos soropositivos independentemente da quantidade de vírus apresentada no corpo. Essa medida, somada à melhoria nas técnicas de diagnóstico e à disseminação de informações, foi determinante para a redução de mortes e a garantia de tratamento.

Existem várias formas de saber se a doença foi contraída. Uma das conquistas dos ativistas foi a redução do tempo de diagnóstico. Hoje, realizar o exame demora cerca de 30 minutos. É possível também fazer autotestes em farmácias privadas, que fornecem resultados em até 10 minutos. Porém, esse método não é aceito como base para um diagnóstico definitivo.O SUS, de acordo com o Ministério da Saúde, distribuiu 12,5 milhões de exames neste ano.

Em 2019, o ministério pretende viabilizar a utilização do autoteste em pelo menos 400 mil unidades de saúde nas cidades de São Paulo, Santos, Piracicaba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte e Manaus.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!